o ÓDIO meu AMOR

O

Paula Mirhan

Programa de Ação Cultural (ProAC) do Governo do Estado de São Paulo

I

Voz

Paula Mirhan

Contrabaixo

Rui Barossi

Guitarra

André Bordinhon

(gravada não presencialmente)

Participações especiais por vídeo

Mathilde Fillat e Wanessa Dourado (violinos), Erica Navarro (violoncello) e Sebastián Ruiz (viola)

 

Direção audiovisual e montagem

Bruna Lessa

Direção de fotografia

Cacá Bernardes

Gravação audiovisual

Bruta Flor Filmes

Roteiro

Vinicius Calderoni e Paula Mirhan

Iluminação

Daniel Gonzalez

Pensamento visual

Renan Marcondes

Mixagem

Gabriel Spazziani

Masterização

Maurício Gargel

Técnico de luz

Cauê Gouveia

Técnico de som

Pedro Canales

Produção executiva

AnaCris Medina e Mariana Pessoa

Música de César Lacerda

Roteiro e direção

Rhaissa Bittar

Direção de fotografia

Luan Cardoso

Edição e cor

Bruno Marques e Rhaissa Bittar

Plateau e Catering

Rui Barossi

17 de setembro

O Ódio e os ativismos LGBTQIA+

com Ariel Nobre, Lucas Bulgarelli e Weber Fonseca

24 de setembro

O Ódio e os ativismos negros

com Karina Vieira e Morena Mariah

1º de outubro

O Ódio e os processos criativos

com Janaína Leite e caio Prado

 

08 de outubro

O Ódio e a psicanálise

com Maria Homem e Christian Dunker

O projeto aprovado no edital do Programa de Ação Cultural (ProAC) do Governo do Estado de São Paulo e realizado em parceria com a produtora Jasmim Produção Cultural, consistia na circulação de um show cênico do álbum “Petróleo” (abril de 2020) por oito municípios do estado de São Paulo e oito mesas de conversa a respeito do tema do disco - o Ódio - com profissionais de diversas áreas de atuação.

Com a pandemia do COVID-19 e a suspensão das atividades presenciais desde a segunda quinzena de março de 2020, o projeto foi adaptado para o meio digital, com a realização das conversas sobre o Ódio pela plataforma ZOOM, a feitura de um vídeoclipe  para a música "Lute contra mim" de César Lacerda e a gravação de um vídeo álbum de Petróleo.

O vídeo álbum, de caráter cênico e cinematográfico, foi gravado em um cinema vazio localizado no centro de São Paulo, apresentando as 10 faixas do álbum.