PETRÓLEO

O combustível que deu início a esse álbum foi o ÓDIO que, assim como outros afetos, faz parte de nossas relações diárias pessoais, coletivas e consequentemente políticas. Como o ódio pode ser também gerador de movimentos transformadores numa sociedade? O que assistimos diariamente é o ódio que assassina e que comete injustiça contra tudo que está fora das normas de comportamento, padrões de gênero, classe e raça, etc. Por que esse afeto tão renegado pela sociedade tem estado cada vez mais à frente numa discussão, do que qualquer tentativa de diálogo?

Esse álbum não se pretende uma ode ao ódio, mas sim uma reflexão sobre ele e sobre as transformações que ele gerou e ainda gera na cantora, compositora e atriz Paula Mirhan, como mulher e artista, em seu trabalho e vida nesse momento. Também é sobre como os afetos se transformam, se misturam e nos tornam seres complexos, seres políticos.

música de Mariá Portugal e Paula Mirhan

 

Nunca te vi

Mas te imagino 

Viscoso

Opaco

O contrário do espelho

(Petróleo) 

Pétreo óleo

Pútrido ódio 

Submerso

Que aparecerá das entranhas do mundo 

Por entre as fissuras da civilização

Olho daqui

Toco teu rosto 

Vistoso

Um traço

Da vazão do desejo

(Petróleo)

Bálsamo, ópio

Leito de um rio submerso 

Secreto

 

Que aparecerá das entranhas do mundo 

Por entre as fissuras da civilização

Por entre as falhas do certo

Por entre os nós das gargantas

 

Combústivel capaz de nos deslocar 

Quem tem fogo é quem saberá

Ficha técnica

 

Paula Mirhan - voz 

Rui Barossi - baixo elétrico e contrabaixo acústico

André Bordinhon - guitarra e violão

Sérgio Abdalla - eletroacústica

foto: Cacá Bernardes
foto: Cacá Bernardes

foto: Daniel Aguiar
foto: Daniel Aguiar

making of do videoclipe

foto: Cacá Bernardes
foto: Cacá Bernardes

foto: Cacá Bernardes
foto: Cacá Bernardes

1/5